Pit Bulls e o Equivoco da Concepção Humana | Matilhando

Todos os dias vemos artigos, entrevistas e matérias na mídia focando no “perigo” e na “violência” que os cães da raça Pit Bull espalham pelo mundo. Acho curioso ver esse tema em pauta tantas vezes, com tanto sensacionalismo e tanto vigor. Me faz questionar o porque disso, já que existem tantas raças de cães no mundo, mas apenas o Pit Bull aparece como o “feroz”, “assassino”, “violento” e “incontrolável”.

O mais curioso é que todos esses relatos vem de pessoas que tem pouca, ou nenhuma experiência com cães, porém falam com muito propriedade sobre o assunto .

Vou aproveitar essa oportunidade, não para citar características ruins de outras raças e falar apenas do lado bom do Pit Bull, mas vou falar um pouco sobre o cão como espécie, e como qualquer um deles, pode se tornar perigoso nas mãos de pessoas sem orientação e experiência.

Todo e qualquer cão, antes de ser adotado por uma família, deve vir quando a mesma estiver em comum acordo sobre as responsabilidades que o mesmo trará para suas vidas.

A família deve estar preparada e disposta a assumir uma nova rotina e estruturar a vida para acomodar esse novo membro.

Cada vez mais vejo cães com problemas de comportamento, sensíveis a todo tipo de estímulo, despreparados para enfrentar o mundo socialmente, e mentalmente desequilibrados. Essas características estão presentes, infelizmente, em todas as raças. E isso é uma consequência de atitudes humanas.

Nós, seres humanos, como sempre, acreditamos na nossa onipotência e esperamos que todas as espécies do mundo se curvem à nós, sem nenhum esforço da nossa parte em criar um ambiente saudável e seguro para eles.

Os Pit Bulls fazem parte dessa família, e como representantes de uma raça forte, atlética e cheia de energia, são criados, muitas vezes, de forma brusca, sem regras, sem limites, sem rotina de exercício, sem afeto, sem orientação.  Infelizmente o resultado dessa equação, em qualquer raça será o mesmo. Sinais de insegurança, agressividade, comportamento antissocial, territorialismo, possessividade e etc.

Os exemplos estão espalhados por todo o mundo, com cães de raças diversas, porém, logicamente na concepção humana, é mais fácil apontarmos o dedo para uma raça e despejarmos a culpa na mesma, desconsiderando nossas atitudes que precedem esses cenários.

Não acho necessário citar estatísticas, nem estudos, já que essas informações sempre existiram e estão disponíveis abertamente para o público em geral, mas acho importante citar que nós, seres humanos, temos muito que aprender sobre os cães. Precisamos aprender mais sobre sua capacidade, sua disposição, sua lealdade, sua energia e seu amor.

Precisamos deixar os rótulos e o ego de lado, e buscar conhecimento, buscar ajuda. É hora de falar menos, e estudar mais, conhecer melhor esse animal, entender como ele funciona, o quão diferente ele é de nós e quão grande é sua habilidade conosco em todos os aspectos, e porque erramos tanto com eles.

Vamos deixar os pré-conceitos de lado, e vamos elevar nossa postura, vamos agir como essa espécie “superior” e começar a mostrar um pouco mais de humildade para admitir que ainda não sabemos tudo, e não podemos julgar nenhuma raça de cão dessa forma.

Vamos aprender, para cada dia nos tornarmos seres humanos e líderes melhores, para os cães e para o mundo.

ARTIGO POR MATILHANDO
VISITE MATILHANDO.COM.BR
Anúncios

Por que é ridículo ainda achar que Pit Bulls são inerentemente violentos.

A maioria dos pit bulls preferem mil vezes ser babá das crianças do que ser forçado a lutar em rinha. Este é apenas um motivo pelo qual Leis Específicas de Raça são um desperdício de recursos. Essa questão foi levantada nos Estados Unidos onde há uma luta para a acabar com tais leis. O Presidente Obama concorda.

Infelizmente, pit bulls “muitas vezes atraem o pior tipo de dono de cachorro” segundo a ASPCA, Sociedade Americana da Prevenção  da Crueldade aos Animais, nos Estados Unidos. Abrigos transbordam com pits e mestiços de pit bulls que nunca conseguem ser adotados por uma família responsável, e então são sacrificados.

POST

Resultados de testes realizados pela American Temperament Test Society, organização que realiza testes afim de avaliar comportamentos específicos de raças caninas, concluem que os pit bulls são estáveis e não apresentam perigo de agressividade espontânea.

A ATTS executa testes para avaliar padrões de conduta em raças caninas, observando nos animais traços comportamentais indesejáveis ​​ou potencialmente perigosos, tais como agressividade para com outros cães ou humanos, timidez ou medo extremo.

Os pit bulls se saíram muito bem, provando novamente que os esteriótipos e rótulos injustos precisam acabar. Espalhe essa mensagem. 😉

 

Fonte: The Huffington Post | ATTS American Temperament Test Society